// outras publicações

Zaia Brandão

Esta tag está associada com 3 postagens

Exercício I, Escrevendo com Autores, Grupo B

A animação em questão demonstra a forma como o grupo encarou o diálogo existente entre os escritos de Bomfim e Zaia a fim de promover a constituição de um campo teórico do Design. O grupo inicialmente pensou em estabelecer esse diálogo a partir de uma ramificação de polos com o objetivo de atingir uma interseção. O texto de Zaia, “A teoria como hipótese”, representando o campo da educação e Bomfim, com “Sobre a possibilidade de uma teoria do design”, o design. A partir destes dois polos, elementos como “Teoria”, “Prática”, “Crítica”, “Fundamentos”, “Conhecimentos”, “Disciplinas” e se este seria um questionamento relativo a elementos específicos e determinados ou indeterminados “A ou UMA”.

Contudo, após muita deliberação, o grupo entendeu que o diálogo não precisaria se dar necessariamente desta forma. Em vez de entender os escritos como polos distintos com elementos em comum, incorporou-se a simplicidade organizacional empregada por Bomfim para promover o entendimento de que seria mais adequado falar de ciclos.  Assim, questões poderiam suscitar disciplinas e conhecimentos, que por sua vez poderiam estimular teorias e práticas, que por sua vez provocariam mais questões. Entende-se também que não existe um sentido obrigatório para este ciclo, mas que a comunicação entre todos estes elementos promova um determinado entendimento a partir do fim do ciclo.

Uma vez finalizado o ciclo, mais questões surgirão e, portanto, um novo ciclo se iniciaria despertando a comunicação com os outros elementos. Consequentemente, o diálogo entre Zaia e Bomfim, no que diz respeito ao design, é representado por uma estrutura helicoidal que não lida com polos opostos, mas um processo de comunicação entre diversos elementos multidisciplinares. Da mesma forma, assim se estruturou o trabalho do grupo: por meio de um processo.

GRUPO:

Arthur Protasio, Bianca Martins, Claudia Bolshaw, Gabriel Cruz, Liliana Gutiérrez.

REFERÊNCIAS:

BOMFIM, Gustavo. Sobre a possibilidade de uma teoria do design. In: Anais do P&D Design 94, 1994, pág. 15-22.

BRANDÃO, Zaia. A teoria como hipótese. In: Pesquisa em Educação: conversas com pós-graduandos. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio: São Paulo: Loyola, 2002, pág. 61-72.

Exercício I, Grupo C: Escrevendo com autores.

Este vídeo apresenta as aproximações tecidas pelo grupo entre os escritos de Gustavo Bomfim (Sobre a possibilidade de uma teoria do design) e Zaia Brandão (A teoria como hipótese). Na busca por possíveis relações claras e lógicas entre os conteúdos de ambos os textos, o grupo sintetizou as principais informações presentes em cada um dos artigos e desenvolveu esquemas visuais que, interligados, acabaram por configurar um vídeo, tendo em vista a dinamicidade dos conceitos e afirmações apresentadas.

Em uma breve descrição:

Para Bomfim, o tema de uma teoria do Design pode ser entendido como uma configuraçãoEsta configuração pode caracterizar-se enquanto atividade ou produtoEnquanto atividade, pode ser entendida através de noções sintáticas, semânticas e pragmáticas. Já enquanto produto, pode ser entendida através das relações entre objeto e designer, objeto e meio de produção e objeto e usuário. A teoria do Design pode ainda ser vista, contextualizada, através de diferentes áreas temáticas, como a Filosofia, a História e a Pedagogia. Tal ordenação propicia a construção de uma teoria do Design enquanto processo 1) indutivo: da práxis (micro) para a teoria (macro); ou 2) dedutivo: da teoria (macro) para a práxis (micro). Este esquema dialoga com a noção de Zaia Brandão de teoria enquanto hipótese pois, conforme a autora, sempre podemos investigar um problema a partir de uma nova perspectiva: novos problemasvolta aos clássicosnovas releiturasenfrentamentos de novas questõesavançosnovos problemasvolta aos clássicos e assim sucessivamente.

Atividade desenvolvida no dia 20/03/2012.

GRUPO:

Claudia Amaral, Fabiana Heinrich, Marco Lima, Sandro Lopes.

REFERÊNCIAS:

BOMFIM, Gustavo. Sobre a possibilidade de uma teoria do design. In: Anais do P&D Design 94, 1994, pág. 15-22.

BRANDÃO, Zaia. A teoria como hipótese. In: Pesquisa em Educação: conversas com pós-graduandos. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio: São Paulo: Loyola, 2002, pág. 61-72.

APRESENTAÇÃO:

A teoria como hitpótese

Zaia Brandão

O ensaio pretende desenvolver uma reflexão preliminar sobre a utilização da teoria no campo da educação, em um momento em que mudanças significativas, no campo científico, vêm questionando certa tradição de verdade, que tende à excessiva objetivação e cristalização dos resultados da investigação, científica.

BRANDÃO, Z. A teoria como hipótese. In: Pesquisa em Educação: conversas com pós-graduandos. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio: São Paulo: Loyola, 2002, pág. 61-72.